Face Twitter Ask *-* Instagram Mor sz Tchau :*
Desde quando você se foi...
1 2 3 4
THM FUTURASUICIDA +



“Eu sou vários. Há multidões em mim. Na mesa de minha alma sentam-se muitos, e eu sou todos eles. Há um velho, uma criança, um sábio, um tolo. Você nunca saberá com quem está sentado ou quanto tempo permanecerá com cada um de mim. Mas prometo que, se nos sentarmos à mesa, nesse ritual sagrado eu lhe entregarei ao menos um dos tantos que sou, e correrei os riscos de estarmos juntos no mesmo plano. Desde logo, evite ilusões: também tenho um lado mau, ruim, que tento manter preso e que quando se solta me envergonha. Não sou santo, nem exemplo, infelizmente. Entre tantos, um dia me descubro, um dia serei eu mesmo, definitivamente. Como já foi dito: ouse conquistar a ti mesmo.”
Nietzsche. (via querido—john)

“Ingênua, chora tão cedo por amor. Mal sabe que no final não terá mais lágrimas pra derramar. Isso é um pecado, digo, sofrer tão cedo por decepções amorosas. Como se seu travesseiro fosse o culpado de alguma coisa para abafar seus gritos, seu choro e secar seu rosto. O amor te prepara agora, mexe em todo o seu psicológico, pra que depois — em um futuro incerto de mágoas e sorrisos — você não se lamente. Você sentirá vontade de ser criança, de amar como uma criança. Amar sua boneca, sua maquiagem, seu brinquedo, seus desenhos animados. Lembranças. Seus amores serão completamente diferentes depois dessa preparação. Amará o sorriso dele, o jeito em que ele arruma o cabelo, o perfume, os olhos. Amará incondicionalmente e, se tudo der errado, você voltará a chorar em um travesseiro velho, conselheiro e que sempre esteve ao seu lado. Sentirá uma saudade enorme que rasgará o seu peito, causando uma dor enorme que apenas quem passou sabe descrever. Isso é o amor — ou a pior parte dele.”
Lucas Guerrero. (via querido—john)

“Sou essa catástrofe que você está tentando compreender. Sou só isso. Na verdade, sou tudo isso. É complicado entender alguém que se embaraça até com as palavras. Desastre deveria ser meu sobrenome. Sou essa bagunça e chega a ser cômico. Um dia espero encontrar alguém que não tente apenas me organizar, mas que se bagunce comigo também.”
Lucas Guerrero. (via querido—john)

“Eu sempre andei em linhas tortas, na verdade, sempre fui todo torto. Custava me endireitar até pra sentar no sofá. Eu tenho um dicionário de defeitos, mais de duas mil páginas só com erros meus. Até o meu nome está nessa confusão toda. Eu tento fazer de tudo pra dar certo, mas sempre quando tento, dá errado. Eu sou bagunça. E essa bagunça ninguém nunca será capaz de organizar.”
Lucas Guerrero. (via querido—john)

“Eu sei o quão clichê é escrever sobre alguém ter ido embora. Mas clichê faz parte da minha essência e não se pode negar quem a gente é. Cada átomo do meu corpo ainda sente a sua falta. As nossas fotos continuam espalhadas pela casa, algo dentro de mim diz que você ainda pode voltar. É que você se foi assim, tão depressa que eu nem tive tempo de absorver o que aconteceu. Prefiro acreditar que você foi só a padaria mas esqueceu o caminho de volta. Se esqueceu que eu sou o seu caminho de volta. Se esqueceu que você mora aqui, em mim, do lado esquerdo do peito. A questão não é aceitar o fato que você se foi, a questão é acreditar que ainda pode dar certo. Acreditar que você também vai sentir a minha falta e vai me querer do seu lado. Vai se lembrar como é tedioso passar os domingos ao meu lado e ainda sim encontrar motivos pra se sentir feliz: o nosso amor. Vai se da conta que o seu porto seguro é nos meus braços e que ninguém é capaz de te fazer sentir segura. Você precisa perceber que eu ainda te amo. You are my happy end.”
Querido John. (via querido—john)


“Mas vê se não acaba com tudo dessa vez, vê se pede uma dose bem forte de amor pra beber em um gole só, sem caretas. Eu não quero precisar ir embora novamente da sua vida pra voltar depois de um telefonema seu, sabendo que meu lugar é ao seu lado. Eu já me acostumei, porque eu acabo voltando e batendo na sua porta. Seu coração é todo torto e sem conserto, mas eu volto. Eu não me dou muito bem sem você. Mas vê se não estraga tudo, por favor. Eu não quero parar de te olhar todas as manhãs antes de ir pro trabalho, nem mesmo deixar o nosso amor ir pelo ralo. É por isso que, mesmo com todos os seus erros, eu volto pra ficar fazendo aquele cafuné gostoso no seu cabelo, pra fazer aquela massagem no seu ombro que só eu sei fazer. Eu volto pra cuidar de você e pra cuidar de mim. Eu sempre acabo na sua cama, recitando poesias ou contando aquelas piadinhas ruins que você chora de tanto rir. Eu amo sua risada e as suas gargalhadas desafinadas. Porque cara, não dá, sabe? Não dá de jeito nenhum pra ficar sem esse seu sorriso, ou sem o seu carinho, ou sem seu drama de sempre, aquele seu lado que acha que tudo tá uma grande merda. A questão é que tudo é uma merda mesmo, é uma merda quando você não tá aqui pra me fazer um cara melhor, pra fazer a vida melhor, pra segurar a minha mão. Eu não quero te perder e me perder depois. Mas você sabe, morena, mesmo você indo embora, o destino sempre junta a gente, os ventos sopram ao nosso favor. Eu ainda me caso com você.”
Lucas Guerrero e Ana Luísa C. (via querido—john)